Miss. Marília Santana



Um Encontro, Uma Marca, Uma Nova História


Sou Marília Santana, morei 32 anos em Iporá, há 7 anos mudei para Goiânia. Sempre, me foi proporcionado um bom nível de vida financeiro. Tive um padrão de vida superior de muitas pessoas. Esbanjava com carros, festas, viagens, bons restaurantes, dinheiro e motorista particular a disposição dos meus caprichos. Tornei-me uma pessoa arrogante, egocêntrica, indômita e competitiva. Fui uma mulher que por muitos anos servi ao diabo. Aos 14 anos, tive uma filha, que eu não amava, mas sentia ódio por ela. Nunca troquei uma fralda dela (hoje ela tem 24 anos de idade). Popularmente falando, eu vivia na sociedade. Comecei a beber, fumar, falar “socialmente”, querendo sempre ser o alvo das atenções e me destacar. Fazia de tudo que meus amigos faziam. Para isso precisei ir mais fundo; tornei-me ninfomaníaca e drogada (LSD, maconha, cocaína, heroína...).                                                                                   

Envolvi no esoterismo, tentando preencher algo na minha vida que não conseguia identificar. Meu pai era alcoólatra e drogado, além de bater muito em minha mãe (cheguei até a presenciar surras). Ele morreu eu tinha 8 anos, assassinado por um menino de 13 anos, que mais tarde eu tentei matá-lo. E todos os demônios que habitavam no meu pai, vieram sobre minha vida.

Sofri insônia e depressão seis anos. Passava até 4 dias sem dormir, e minha vida não tinha mais sentido. Tentei o suicídio 3 vezes. Tratei com psicólogos, psicanalistas e psiquiatras. Sem obter resultado algum; a doença da minha alma continuava crescendo. Tinha péssima convivência familiar, comecei a repetir os mesmos atos do meu pai e agredir minha mãe, batendo e surrando até sangrá-la. Nessa altura eu era uma banida da sociedade, sem amigos e solitária.               

Chega o momento que ninguém pôde fazer mais nada

Em outubro de 1993, fui hospitalizada com suspeita de AIDS, e meu organismo apodrecia numa cama de hospital. Três semanas antes de ser hospitalizada, Deus levantou 1equipe de irmãos em Iporá para que orassem e intercedessem ao meu favor. Um dia após a hospitalização, aquele grupo, movido pelo Espírito Santo, foi me visitar e eu aceitei Jesus como Salvador da minha vida. Deus me  curou da AIDS, Ele me libertou das drogas do dia para noite sem eu precisar passar por clínica de recuperação; além de me curar da insônia e da depressão. Ele também me deu um novo caráter, e de “Marília drogada”, passei a ser conhecida como “Marília serva do senhor”. Deus me deu um esposo maravilhoso em 5 meses, desde o noivado até o casamento. Ensinou-me a perdoar o assassino do meu pai e colocou um grande amor no meu coração pela filha que antes eu havia desprezado. Hoje eu tenho 2 filhas amadas; Uma de 24 anos e outra  de 18 anos. Pedi perdão a minha mãe por tudo, ela me respondeu: “Filha, eu nunca deixei de te amar!”. Mas uma dúvida pairava no ar, passei a orar ao Senhor dizendo: “Pai, mostra- me se o amor da minha filha por mim é o mesmo amor de uma filha que nunca foi rejeitada pela mãe!”                

Tudo estava indo bem, até que o inesperado aconteceu

No ano de 2002, fiz uma cirurgia conhecida por colectomia total. Algo deu errado, e ao sair do centro cirúrgico, percebi que havia perdido a sensibilidade das pernas, estava usando 2 bolsas, para evacuar e para urinar e dando convulsões. Peguei uma infecção generalizada e anemia profunda. Morei 2 anos em hospitais, fiquei muito tempo na UTI e CTI.  Um dia, dei parada cardíaca e respiratória e a única cena que me lembro foi o desespero da minha mãe e a fé em Deus do meu esposo... Arrepiei, estrebuchei e não vi mais nada! Ao acordar percebi todos falando baixo perto de mim. Algo assustou os médicos, pois eu estava evacuando como um organismo normal e não mais na bolsa. Deus restituiu meu intestino, enfermeiras reconciliaram com Jesus e um dos médicos intensivistas da UTI aceitou a Jesus! Deus nunca perdeu o controle de nossas vidas... Aleluia!!! Mamãe aceitou a Jesus e a filha que eu havia rejeitado, estava lá, trocando fraldas em mim...  Deus naquele momento me disse: “Filha, tu não me pediste para Eu te mostrar se o amor da sua filha por ti é o mesmo amor de uma filha que nunca foi desprezada pela mãe? Eis aí o meu mistério! Você nunca trocou uma fralda dela, e essa será a 1ª de muitas fraldas que ela trocará em você!”. Hoje ela me chama de mãe, e eu a chamo de filha. Por fim, vi uma mudança radical e vi também nascer uma nova Marília. Desde a minha conversão, milagres e maravilhas têm marcado minha nova vida em favor do reino e através do Ministério da Palavra para o qual fui chamada por Deus. Hoje sou muito feliz, por que tenho convicção no Deus a quem sirvo e as promessas Dele vem se cumprindo na minha vida todos os dias. 



* Miss. Marília Santana é casada com Pr. Macivon Fonseca (secretário do Pr. Oídes José do Carmo), bacharel em Teologia, graduando em Terapia Familiar; Preletora, ministra Palestras, Seminários, Simpósios e Conferências para Casais e Mulheres e Família .

Facebook: Marília Santana AGENDAS: (062) 8488-0035; 8598-0060; 9266-4808.

Voltar

Outros Testemunhos

Pr. Oídes José do Carmo

Prª. Neusa César Carmo

Galeria de Fotos

BATISMO NAS ÁGUAS [Fevereiro/2017]

CONSAGRAÇÃO DE OBREIROS

Cinquentenário do Coral Harmonia Celeste

4º Seminário de Mulheres do Campo de Campinas

BATISMO NAS ÁGUAS [OUTUBRO/2016]

CONGRESSO INFANTIL 2016

Segundo dia da 'Conferência Missionária' do Campo de Campinas - Noite

Segundo dia da 'Conferência Missionária' do Campo de Campinas - Manhã

Primeiro dia da 'Conferência Missionária' do Campo de Campinas.

Aniversário do Pastor Oídes José do Carmo [2016]