19/05/2014 23:56
Engolindo sapos

Por que toleramos ou ficamos calados diante de algo que nos desagrada? A gente sabe que defender nossas posições “com unhas e dentes”, sem temer consequências não é tão simples assim. A gente cresce ouvindo várias expressões: “Quando um não quer, dois não brigam”, “A corda só se arrebenta do lado mais fraco”. Afinal de contas, isso é que é “engolir sapo”? “Engolir sapo” significa tolerar coisas, situações desagradáveis sem responder, por incapacidade, prudência ou conveniência.

A sabedoria popular diz que a estabilidade no emprego depende da capacidade de o profissional “engolir sapos”. Você já viveu situações nas quais teve que contar até dez e engolir em seco para não destratar o patrão, um colega de trabalho ou até mesmo um membro da sua família? Principalmente no meio familiar, existem momentos em que, se não calamos a boca, a situação fica insustentável. A gente “engole sapo” o tempo todo! Porém, até para “engolir sapos” existe um limite. Quando há exagero, a tolerância acaba, a paciência esgota e a pessoa torna-se improdutiva e desmotivada.

Hoje vivemos num mundo muito competitivo e, além da competitividade, ainda existe a discriminação. Você já deve ter ouvido histórias de pessoas inegavelmente capacitadas, mas que não conseguiram uma vaga de emprego por não terem certo padrão de beleza. Quem não tem tal beleza exigida, em muitas situações deve se esforçar bastante e até superar seus próprios limites para conseguir a vaga desejada. Normalmente, quando a gente percebe que o “sapo” é um desafio, arregaçamos as mangas para o “engolirmos” melhor. Mas essa batalha só pode ser vencida a partir da superação, do esforço desmedido que nos farão atingir nossas metas. Quando não conseguimos alcançar tais metas, aí mesmo é que “engolimos sapos”, pois há uma cobrança sem fim!

Olhe para frente!

O Apóstolo Paulo diz que devemos olhar para frente e nos esquecermos das coisas que ficam para trás. Minha amiga, se você não se esquecer dos acontecimentos desagradáveis da sua vida, você terá dificuldade para levar sua vida adiante. Sabendo disso, amiga, não deixe que os desgostos prejudiquem sua produtividade e bem-estar. Se alguém disser que você não vai conseguir, rejeite essas palavras e continue sua vida, batalhando, esforçando-se e confiando no Senhor. Ao encarar o “sapo”, teste seu próprio limite diante da situação. Peça a Deus para lhe dar forças para transformar o “sapo” em desafio, consciente de que você crescerá ao transpor mais um obstáculo. Transforme seu ambiente. Lembre-se de que o importante não é aquilo que o mundo fez com você, mas sim aquilo que você fez com o que o mundo fez com você.

Prezada leitora, quem quer vencer na vida tem que agir com diplomacia. Se você quer transformar o “sapo” em oportunidade, vai ser melhor pra você. Cuidado com atitudes do tipo: “Não levo desaforo para casa” ou “Dou um boi pra não entrar numa briga, mas quando entro, dou uma boiada pra não sair dela”. Até porque, se você é cristão, sabe que esse comportamento desagrada a Deus. Não existe um lugar perfeito onde se possa conviver integralmente, ou seja, 24 horas em harmonia. Nas melhores famílias, nas melhores empresas, sempre haverá divergências. Às vezes somos ouvidos e às vezes “engolimos sapos”. Existem momentos em que até podemos dividir o fardo com alguém, por sentirmos necessidade de desabafar. No entanto, precisamos tomar cuidado com a pessoa a quem vamos nos expor.

Recentemente, li uma história que circula na internet e que traz uma reflexão sobre “a arte de engolir sapos”. A história diz que certa vez, uma pessoa fez três experiências. Em uma panela com água, colocou cenouras e batatas, em outra, ovos e em uma terceira café e açúcar. As três panelas foram para o fogo. Depois de um determinado tempo, a pessoa voltou a observar as panelas e descobriu que a cenoura e a batata, que eram duras, ficaram moles. O ovo, que era mole, ficou duro. E que o café e o açúcar misturaram-se à água e ficaram maravilhosos. Os três grupos de ingredientes passaram pelo mesmo processo: água fervente. Apesar disso, devido à natureza de cada um, houve diferentes reações.

Fazendo uma analogia à questão dos sapos, percebe-se que a dura cenoura e a batata foram envenenadas pelo “sapo”, pois se amoleceram e tiveram baixada sua autoestima. O ovo, que era delicado, transformou-se numa coisa dura, amargurada. Apenas o café, no ponto máximo da agressão, atreveu-se e modificou a água.

E você, minha amiga! Que personagem pretende representar na sua casa, na igreja ou no trabalho? Pense! Sozinha é difícil, porém, na força do Senhor podemos tudo!


Missionária Elza Almeida

Mensagem transmitida pela Rádio Paz FM 89,5 no Programa “Espaço Mulher”, todos os sábados das 9h às 10h apresentado pela Pr. Neusa César Carmo e Miss. Elza Almeida. Ouçam e participem!

Pr. Oídes José do Carmo

Prª. Neusa César Carmo

Galeria de Fotos

BATISMO NAS ÁGUAS [Fevereiro/2017]

CONSAGRAÇÃO DE OBREIROS

Cinquentenário do Coral Harmonia Celeste

4º Seminário de Mulheres do Campo de Campinas

BATISMO NAS ÁGUAS [OUTUBRO/2016]

CONGRESSO INFANTIL 2016

Segundo dia da 'Conferência Missionária' do Campo de Campinas - Noite

Segundo dia da 'Conferência Missionária' do Campo de Campinas - Manhã

Primeiro dia da 'Conferência Missionária' do Campo de Campinas.

Aniversário do Pastor Oídes José do Carmo [2016]